ADSENSE

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Rodrigues Alves

Francisco de Paula Rodrigues Alves nasceu no dia 7 de julho de 1848 na cidade de Guaratinguetá, em São Paulo. Filho de portugueses, ricos proprietários de terra, foi o terceiro de 13 filhos e o único a estudar na corte. No Colégio Pedro II, considerado o melhor de Lisboa, foi colega de classe de Joaquim Nabuco e teve aula de história com Joaquim Manoel de Macedo. Durante os seis anos de curso, foi considerado o primeiro aluno da classe por cinco vezes. Formou-se em direito em São Paulo antes de ingressar na vida pública, em 1872, como deputado provincial pelo Partido Conservador.

Em 1887 chegou a presidente da província de São Paulo (o equivalente ao governador), cargo que voltaria a ocupar em 1900 e 1916. Após a Proclamação da República, foi deputado constituinte, em 1890, e ministro da Fazenda duas vezes no governo de Floriano Peixoto e no de Prudente de Morais. Eleito presidente da república em 1902, deu continuidade à política de valorização do cultivo do café que vinha sendo adotada no Brasil.

Durante sua gestão, Rodrigues Alves manteve as finanças do país, construiu estradas de ferro e portos. Teve como proposta implementar a reurbanização e saneamento do Rio de Janeiro, mas enfrentou problemas após uma epidemia de varíola que atingiu a população. A fim de combater a doença, instituiu uma campanha de vacinação obrigatória. A medida, porém, gerou revolta junto à população que considerou o ato autoritário por não ter recebido esclarecimento prévio. A rebelião popular ficou conhecida como Revolta da Vacina, em 1904, e enfraqueceu a imagem do presidente.

Voltou a ser eleito novamente para presidente em 1918, mas não chegou a tomar posse por ter contraído a gripe espanhola. Morreu no dia 16 de janeiro de 1919, no Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário