ADSENSE

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Sabinada (1837-1838)

A Sabinada foi um movimento de revolta que eclodiu na Bahia. Foi liderada pelo médico Francisco Sabino Álvares da Rocha Vieira, por isso ficou conhecida como Sabinada. O principal objetivo da revolta era instituir uma república baiana, mas só enquanto o herdeiro do trono imperial não atingisse a maioridade legal.

Portanto, a sabinada se insere no conjunto das revoltas regenciais que eclodiram como manifestações de descontentamento e insatisfação de parcelas da classes dominantes e populares diante da condução do governo monárquico pelas regências.

Características da Sabinada
Em comparação com outras revoltas provinciais de caráter separatista ocorridas no mesmo período, a Sabinada foi bastante breve pois durou de 1837 a 1838. Outra importante característica: a revolta foi organizada por homens cultos e ficou restrita às camadas médias da população de Salvador. O movimento de revolta não obteve, portanto, o esperado apoio dos proprietários agrários da região (os ricos fazendeiros e senhores de engenho).

Por outro lado, as próprias lideranças recusaram-se a mobilizar a população pobre para participarem e apoiarem a revolta temendo, com isso, uma radicalização do movimento, a exemplo do que estava ocorrendo com a Cabanagem no Pará e a Farroupilha no Rio Grande do Sul.

República Bahiense
A principal causa da revolta foi a profunda insatisfação com as autoridades nomeadas pelo governo regencial para o comando do governo da Bahia. Os rebeldes as acusavam de serem despóticas, repressoras e excessivamente centralizadoras. Mas o estopim da eclosão do movimento de revolta baiana foi a indignação contra o recrutamento militar imposto pelo governo regencial para combater a Revolta dos Farrapos.

Assim, com o apoio de parte do exército baiano, os sabinos conseguiram tomar vários quartéis da capital e, em seguida, o poder em Salvador, em 7 de novembro de 1837. No mesmo ano proclamam a chamada República Bahiense. Mas os líderes do movimento anunciaram que a República Bahiense duraria apenas até Pedro 2º atingir a maioridade e assumir o trono.

Repressão violenta
O governo central, sob comando do regente Feijó reagiu organizando uma ofensiva militar com o objetivo de reprimir os revoltosos e reintegrar a província separatista. Os revoltosos foram cercados por terra e por mar. As tropas militares governamentais receberam o apoio dos grandes proprietários agrários da região. A Sabinada foi reprimida com bastante violência.

Em Salvador inúmeras casas foram queimadas, assim como muitos revoltosos. Mais de mil pessoas morreram nos combates. A revolta foi facilmente vencida e chegou ao fim um ano após ter eclodido, em março de 1838. Três líderes da Sabinada foram executados e outros três condenados ao desterro. O principal líder, Francisco Sabino Álvares da Rocha Vieira, recebeu pena de desterro e foi enviado para o Mato Grosso.

Sem contar com o apoio das classes dominantes da região, e excluindo a população pobre da participação do movimento, a Sabinada foi uma revolta breve e de pouca importância. O movimento restringiu-se à capital e algumas localidades próximas. Por outro lado, os líderes do movimento de revolta não chegaram a apresentar propostas de mudanças consistentes, que se convertessem em projetos de transformação das condições sociais, econômicas e políticas da população que habitava a região.

3 comentários:

  1. Parabéns, este artigo está melhor que o wikipédia.

    ResponderExcluir
  2. As rebeliões Regenciais

    Farroupilha
    Local Rio Grande do Sul (1835-1840)

    Líderes
    Bento Gonçalves, General Neto, Onofre Pires, Lucas de Oliveira, Vicente da Fontoura, Pedro Boticário, David Canabarro, Vicente Ferrer de Almeida, José Mariano de Mattos e claro, Giuseppe Garibaldi.

    Consequencias
    Longa guerra civil comandada pela elite gaúcha, produtora de charque.Reclamação dos farroupilhas: concorrência do charque platino.Reivindicação dos farroupilhas: elevação dos impostos sobre o charque platino (protecionismo).

    Sabinada
    Local
    Bahia (1837 – 1838)

    Líderes: o médico Francisco Sabino e joão carneiro da silva rego.

    Causas
    Os revoltosos eram contrários às imposições políticas e administrativas impostas pelo governo regencial. Estavam profundamente insatisfeitos com as nomeações de autoridades para o governo da Bahia, realizadas pelo governo regencial.O estopim da revolta ocorreu quando o governo regencial decretou recrutamento militar obrigatório para combater a Guerra dos Farrapos, que ocorria no sul do país.

    Consequencias
    O governo enviou tropas para a região e reprimiu o movimento com força total, Salvador foi cercada e retomada,Muita violência foi usada na repressãoCentenas de casas de revoltosos foram queimadas pelas forças militares do governo.
    Balaiada
    local Maranhão (1838 – 1841)
    Principais líderes: Raimundo Gomes, Manuel Francisco dos Anjos e o Preto Cosme.

    ResponderExcluir